• Viação Netto6
  • Alisson Publicidade8
Terça-feira, 20 de fevereiro de 2018
(67) 9918-9198

Com lei da padroeira, 'todos os olhos de MS estarão na igreja', diz padre

Sanção a projeto nascido dentro da Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro será dado nesta quarta-feira pelo governador Reinaldo Azambuja

  • Techno Brisa16

campo grande news

Padre Dirson mostra decreto que oficializa Nossa Senhora do Perpétuo Socorro como padroeira do Estado. (Fotos: Marcos Ermínio)

A sanção à lei que transformará Nossa Senhora do Perpétuo Socorro na padroeira de Mato Grosso do Sul fará com que a igreja de mesmo nome, em Campo Grande, ganhe projeção no Estado. A afirmação é do padre Dirson Ferreira Gonçalves, segundo quem a comunidade católica da Capital está em festa com a decisão –oficializada na manhã desta quarta-feira (27).

Aprovada em meio a polêmica com a bancada evangélica na Assembleia Legislativa, a lei que designa a padroeira do Estado será sancionada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) nesta manhã, em evento na Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no Amambaí. A oficialização ocorre em meio a novena realizada na instituição. O arcebispo de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa, ao lado de autoridades ligadas à Igreja Católica, participam da solenidade.

“Com Nossa Senhora do Perpétuo Socorro virando padroeira do Estado, todos os olhos de Mato Grosso do Sul estarão na igreja, nos fiéis e na devoção à Santa”, afirmou o padre Dirson, reitor da comunidade redentorista e um dos organizadores do abaixo-assinado que culminou na designação da padroeira do Estado. “Há quatro anos vínhamos tentando essa decisão, e agora conseguimos”.

Dom Dimas reforçou que, embora seja referendada pela classe política e pela administração estadual, a proposta surgiu em meio à comunidade católica do Estado –dados do IBGE do último censo, de 2010, apontam que mais da metade dos sul-mato-grossenses se declaram católicos. “Não partiu da Assembleia, e sim da igreja, de uma consulta feita à população de Mato Grosso do Sul”, destacou o arcebispo.

Igreja foi fundada em 1939 e inaugurada dois anos depois.
Divulgação – Há um ano em Campo Grande, vindo de Londrina (PR), o irmão Fernando Cordeiro avalia que, com a decisão, “a devoção vai se espalhar pelo Estado e muitas pessoas vão conhecer a santa”. Para ele, “Nossa Senhora encarnou em Mato Grosso do Sul”.

Com ligações profundas com a comunidade católica, o deputado estadual Paulo Siufi (MDB) aprsentou a proposta ao Legislativo. Ele destacou que a escolha da padroeira deve-se “ao fator cultural e histórico do Estado e com a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro”, que segundo ele atrai “mais de 25 mil pessoas todas as quartas-feiras, atraindo devotos de diferentes cidades do Estado”.

História – Conforme o site da igreja, a Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi fundada em 1939 pelo então bispo de Corumbá Dom Vicente Priante, ficando sob os cuidados da Congregação do Santíssimo Redentor dos Missionários Redentoristas.

Ela foi construída em um terreno cedido pela prefeitura, ao lado do Círculo Militar, sendo inaugurada em 3 de agosto de 1941.Em 10 de janeiro de 1999, foi elevada a santuário pelo hoje arcebispo emérito da Capital, Dom Vitório Pavanello, devido às tradicionais novenas.

Quer receber notícias do Site Vicentina Online via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9918-9198 e se cadastre gratuitamente!



PUBLICIDADE
  • Jorge Mercado2
  • Zippy Modas24
PUBLICIDADE
  • Casa do pecuarista28
  • Puppa31
  • Vidrosul33