Questões técnicas atrasam obras e aeroporto de Dourados não abrirá esse ano

| DOURADOSNEWS / JESSICA BEATRIZ E THALYTA ANDRADE


Obras iniciaram em maio de 2021 - Crédito: Hedio Fazan/ Dourados News/ Arquivo

O Aeroporto Regional Francisco de Matos Pereira de Dourados está com voos suspensos desde o dia 1° de maio de 2021, para obras de expansão na pista de pousos e decolagens realizadas pelo Exército Brasileiro. Entretanto, o prazo para entrega foi alterado de novembro deste ano, quando havia previsão de finalização da primeira etapa, para o mesmo mês de 2022.

O atraso no projeto original ocorre por conta de uma questão técnica envolvendo a pista. À reportagem do Dourados News, os responsáveis pela obra relataram que estudos estão sendo realizados para encontrar uma solução viável para o problema.

De acordo com o responsável pela obra, capitão Fernando Duncan Loureiro Pinheiro, chefe da seção técnica do 9º Batalhão de Engenharia e Construção, foram encontradas algumas patologias na pavimentação, entre elas, fissuras, desplacamentos e desagregação do asfalto anterior. 

Além disso, quando a equipe iniciou o processo de cortar o asfalto para atingir outras camadas do solo, foram encontradas 'mantas geotêxtil’ descoladas. Esse material é feito a partir de fibras, que quando associado com o solo, tem a capacidade de drenar, filtrar, separar, reforçar e proteger.

A questão é que caso seja colocada uma capa de asfalto em cima de uma base que não estará completamente segura, como é neste caso, o resultado pode ser acidentes envolvendo as areonaves. Por este motivo, se faz necessário fazer uma escavação para depois tratar o material e recolocar dentro do grau de compactação exigido tecnicamente considerando a segurança da pista.

Segundo o responsável pela inspeção da obra, coronel Luís Cláudio Brion Cardoso, comandante do 3º grupamento de engenharia, “isso é necessário para que caso a aeronave um dia venha sair da pista, ela tenha o suporte suficiente para não quebrar o trem de pouso por causa do solo mole”.

Atualmente, cerca de 180 homens do Exército trabalham na obra, junto de mais algumas dezenas de profissionais de empresas terceirizadas que dão suporte a execução do projeto.

A estimativa atual é que seja realizada uma reabertura parcial em novembro de 2022 e a reabertura total em 2023 e o investimento que chegaria a R$15.196.212,11 inicialmente poderá ter um acréscimo de mais R$ 2,7 milhões.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE