Rio Paraguai registra 3º pior nível da história, em 110 anos de medição

| GUILHERME CORREIA / CAMPO GRANDE NEWS


Margens do Rio Paraguai, em Ladário, indicam situações ambientais vividas no Pantanal (Foto: Reprodução/Diário Corumbaense)

A altura do Rio Paraguai, em Ladário, a 419 quilômetros de Campo Grande, chegou na segunda-feira (11) a registrar 56 centímetros negativos, de acordo com monitoramento diário do Centro de Hidrografia e Navegação do Oeste, vinculado às Forças Armadas. Esse índice é o terceira mais baixa em 110 anos, desde que se iniciou a medição.

As informações são do jornal Diário Corumbaense. Em 1964, o Rio registrou a pior marca, quando chegou aos -61 centímetros e em 1971, mediu -57.

Conforme o Serviço Geológico do Brasil, a corrente pode reduzir ainda mais, nesta semana, beirando os -59. Se isso acontecer, será a segunda pior marca da história. Ainda segundo o órgão, é o terceiro ano consecutivo em que o Pantanal não apresenta a habitual cheia, condição em que o nível d’água supera os quatro metros em Ladário. A última vez foi em 2018, quando o rio atingiu o pico de 5,35 metros.

Conforme pesquisa divulgada em setembro deste ano, pelo MapBiomas, o período de chuvas no Pantanal passou de seis meses para apenas dois. Dessa forma, a outra metade do ano - que naturalmente é a de secas - seria ainda mais potencializada.

Vale ressaltar que os focos de incêndio no bioma sul-mato-grossense, de acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), têm sido menores neste ano, em comparação com 2020, período de recordes de destruição ambiental no bioma. Ainda assim, isso não indica que a situação está totalmente controlada.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE