Mato Grosso do Sul registrou 61 novos casos de Covid-19

Estado quer realizar campanha de vacinação para buscar as pessoas que não voltaram para receber a 2º e 3º dose da vacina

| CORREIO DO ESTADO / DA REDAçãO


- Arquivo/Correio do Estado

Dados do Boletim Epidemiológico , da Secretaria de Estado de Saúde (SES), mostram 61 casos novos de Covid-19 e nenhum óbito registrados nesta sexta-feira (26) , em Mato Grosso do Sul.  

O Estado contabiliza 9.677 óbitos, 1.107.006 de casos notificados e 378.445 de casos confirmados desde o início da pandemia.

Existem 55 pessoas hospitalizadas em Mato Grosso do Sul, sendo 29 em leitos clínicos (27 público; 2 privado) e 26 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) (24 público; 2 privado).

Em Campo Grande, foram notificados 12 novos casos de Covid-19. Na cidade de Dourados, 15 casos de coronavírus e em Corumbá, 11 casos notificados. Nas cidades de Três Lagoas e Ponta Porã, não foram registrados casos novos. 

Existem seis pessoas à espera de um leito em Mato Grosso do Sul. Entre os pacientes que aguardam por uma vaga em hospital, um é da Central de Regulação de Dourados e cinco da Central de Regulação da Capital.

Nesta semana, o secretário Estadual de Saúde, Geraldo Resende, reforçou o pedido para que a população tome a vacina.

'Há um acréscimo significativo de casos, estávamos tendo sempre abaixo de 100, e Campo Grande oferece a maior contribuição nesses casos', apontou.

Sem receber convite para a participação da campanha de imunização do Ministério da Saúde, Resende disse ainda que o Estado criará o próprio programa de incentivo.

'Temos algum municípios que estão ofertando números novos e em grande quantidade, mesmo que seja em casos leves', disse.

'Isso mostra que o vírus esta circulando, que ele está presente, e que se não fizermos nossa tarefa, ir se vacinar, nos haveremos de dar um campo fértil para o vírus se propagar novamente', completou.

A campanha estadual deve buscar as pessoas que não voltaram para receber a segunda e terceira dose da vacina. 

'Em adultos acima de 60 anos, não atingimos nem 55% deste público, os idosos acima de 60 anos não estão indo ou seus filhos não querem preservar suas vidas. Em cada casa com um idosos acima de 60 anos, há um tio, um avô. Não o levando para vacinar, a família contribui para idoso colocar sua vida em risco', ressaltou.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE