Aeronave de combate a incêndio florestal chega à MS em dezembro

Imasul adquiriu o modelo AT-802 F por R$ 14 milhões e o equipamento foi montado no Texas

| CORREIO DO ESTADO / RODOLFO CéSAR


- Divulgação

A primeira aeronave dos Bombeiros de Mato Grosso do Sul para combate específico a incêndios florestais e enfrentamento das chamas no Pantanal chegará agora no mês de dezembro. 

O Air Tractor 802 F é apontado mundialmente como um dos melhores equipamentos para enfrentamento de fogo. Tanto em 2020 como em 2021, modelo semelhante foi utilizado no Pantanal, porém todos foram locados em São Gabriel do Oeste.

Esse tipo de equipamento avançado chegou a ser apontado como uma grande deficiência que o Estado tinha para ter capacidade de enfrentar a queimada no Pantanal. 

Em 2020, quando aeronave da FAB realizava o combate, havia questionamentos sobre medidas que permitissem uma atuação mais rápida. No caso do avião da FAB, o carregamento de água precisava ser feito em Campo Grande, por exemplo. 

No caso dos Air Tractors, esse abastecimento pode ocorrer no aeroporto de Corumbá ou mesmo em pistas adaptadas.

O modelo que chegará dos Estados Unidos para o Brasil é o AT-802F, que é usado para ataques a incêndios. Conforme a própria montadora, que fica no Texas, essa aeronave tem capacidade para combater pequenos e grandes incêndios. 

Ela pode voar a 200 mph (321 km/h) e tem capacidade para pousar em pistas de terra, como as que existem no Pantanal. O AT-802-F tem capacidade de transportar 3 mil litros de água.

A compra do equipamento foi feita pelo Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) em junho deste ano, pelo valor de R$ 14 milhões. Apesar de a aquisição ser do instituto, há um convênio firmado que os Bombeiros serão os responsáveis pela utilização do avião.

“Essa aquisição é uma iniciativa do Imasul para fazer um combate mais eficiente dos incêndios florestais dentro das unidades de conservação e nas zonas de amortecimento.'

'É importante porque integra um conjunto de ações, temos o combate terrestre feito pelos bombeiros e brigadistas, o combate com caminhão-tanque, caminhonetes equipadas com kits, mas existem alguns locais de muito difícil acesso e muito calor', detalha o presidente do Imasul, André Borges.

O subcomandante dos Bombeiros, coronel Artêmison Monteiro de Barros, explica que a equipe de militares da corporação irá iniciar treinamento específico de combate a incêndios com a chegada da aeronave em território sul-mato-grossense. 

Três bombeiros militares estão concluindo a capacitação para serem os pilotos exclusivos.

Conforme ele, os militares vão precisar trabalhar nesse período que o fogo não está intenso para aprenderem a reduzir o tempo de resposta no caso de demandas.

“Vamos ter nossos bombeiros militares treinados. Precisamos que eles estejam preparados. Saber como abastecer a aeronave, tanquear a aeronave com água de forma rápida.' 

'Temos que tornar esse fluxo o mais rápido possível. Estamos formando três pilotos bombeiros militares', identifica o coronel, que agora em novembro veio a Corumbá para anunciar oficialmente o fim da Operação Hefesto, que combateu o fogo no bioma por 144 dias com a vinda de mais de 800 Bombeiros de todo o Estado.

Por conta da operação dedicada para controlar as chamas, aliada a outras atividades realizadas desde fevereiro deste ano, foi possível reduzir em 50% a área destruída pelo fogo. 

Em torno de 1,7 milhão de hectare acabou queimado em 2021, ano que a seca foi mais forte na comparação com 2020.

“Ao longo de 2021, nós conseguimos adquirir vários equipamentos. Foi disponibilizado em torno de R$ 50 milhões (para a corporação). Compramos uma aeronave que está ficando pronta. Ela está no Texas (EUA), e vai chegar no mês de dezembro.' 

'Ficará disponível para combate aos incêndios aqui na região do Pantanal. Além disso, vamos deixar em Corumbá caminhonetes, viaturas de combate a incêndios', pontua o subcomandante dos Bombeiros.

Segundo coronel Monteiro, o Air Tractor AT-802F será mantido em Campo Grande em primeiro momento porque não foi possível definir um hangar para ele ser mantido em Corumbá. Porém, nos períodos de maior exigência do equipamento, a previsão é que ele seja mantido na Capital do Pantanal.

Até hoje, os Bombeiros de Mato Grosso do Sul nunca tiveram um avião específico para atuar no combate a incêndios florestais. 

A corporação tem uma aeronave, chamada de Bombeiro 03. O Cessna tem capacidade para transporte de até 6 pessoas, incluindo a tripulação, e é mais utilizado para socorro de vítimas e transporte de militares. 

Essa aeronave, inclusive, serviu para levar equipes para combate a locais distantes no Pantanal neste ano.

LOCAÇÃO DE AVIÕES

Como o Estado não dispunha de equipamento específico para combater os incêndios florestais neste ano, o governo fechou o contrato de locação. 

Em 2021, foram locadas 15 aeronaves da empresa Serrana Aviação Agrícola, que tem sede em São Gabriel do Oeste.

O contrato firmado foi no valor de R$ 2,950 milhões e a fonte pagadora foi a partir de recursos de compensação ambiental. 

O Imasul realizou a contratação da empresa e essa quantia entrou no montante de R$ 56,6 milhões que o Estado divulgou ter sido direcionado para combate a incêndios florestais.

O subcomandante dos Bombeiros, coronel Artêmison Monteiro de Barros, reconhece que o planejamento do próximo ano deve incluir novamente a locação desses equipamentos. “Ano que vem vamos precisar locar porque provavelmente teremos de usar várias aeronaves. 

O grupo é que dá o enfrentamento eficiente para o combate (ao fogo)', explica.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE