Morte de investigadora de Glória de Dourados é a quinta por suicídio entre policiais este ano em MS

Até 4 de fevereiro, foram quatro casos em apenas 16 dias

| TOP MÍDIA NEWS


Quatro policiais e um ex-guarda civil metropolitano tiraram as próprias vidas, desde o início do ano, em Mato Grosso do Sul. A perda mais recente foi da investigadora da Polícia Civil, Daiane Polesel Garcia, neste domingo (6), em Glória de Dourados. 

Para se ter uma ideia da proximidade dos casos, até o dia 4 de fevereiro, foram quatro mortes desse tipo, em apenas 16 dias. 

Daiane 

Daiane era investigadora da Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira, a Defron. Ela foi achada morta neste domingo (6) e a principal suspeita é suicídio. 

Amigos, colegas de trabalho e o Sindicato dos Policiais Civis lamentaram a perda repentina da investigadora. 

Edson e Neiton

O ano difícil para as forças de segurança começou no dia 20 de janeiro, quando dois de seus membros desistiram de viver. A primeira vítima foi o tenente da PMMS, Edson Henrique Yamamoto, 31 anos. Ele foi achado morto em um hotel, na avenida Calógeras, durante a tarde. 

Yamamoto comandava o policiamento de Paraíso das Águas. A cidade decretou luto oficial de três dias pelo ocorrido. 

Instantes depois, no mesmo dia, o ex-agente da Guarda Civil Metropolitana, Neiton de Assis Alves de Paiva, também tirou a vida, aos 38 anos. Ele foi achado morto em casa, no Jardim Petrópolis, em Campo Grande. 

Paiva não integrava mais a GCM da Capital, em razão de ter se envolvido em um transporte de produtos contrabandeados na fronteira. No caso dele, era sabido que o agente sofria de depressão. 

Viviane 

No dia 24 de janeiro, a perita papiloscopista, Viviane Jesus de Souza, foi achada morta, com um tiro, dentro de um motel, no Jardim Paulista, em Campo Grande. 

A vítima passou dois dias e meio no estabelecimento e chegou a sair uma vez e voltar. Ela passou uma noite junto de um homem, que depois foi embora. No final da manhã, testemunhas ouviram um tiro vindo do quarto dela e chamaram a polícia.  

André  

Já em fevereiro, foi o policial rodoviário federal, André Cassiano Messias Valdameri, 28 anos, quem abandonou a vida. Era manhã de uma sexta-feira (4), quando o corpo foi achado, com marca de tiro, no apartamento dele, no bairro Santa Fé, na Capital. 

Segundo o site Central Sul News, André foi policial militar do Batalhão de Choque no Paraná. Ele estava há apenas um mês na PRF em MS. 

Valorização da vida

Um suicídio afeta ao menos seis pessoas que estavam ligadas à vítima. Se você estiver passando por problemas, procure ajuda. 

O Grupo Amor Vida é uma ONG sem vinculação político partidária e religiosa que presta gratuitamente, desde 2001, através de voluntários, atendimento telefônico à pessoa em crise emocional, com garantia de anonimato e sigilo, objetivando a prevenção do suicídio.

Não se trata de atendimento psicoterápico e sim humanitário. O usuário tem a oportunidade de desabafar com outra pessoa o seu sofrimento. Uma dor compartilhada dói menos.
Telefones: 3393-4112/ 99266-6560.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE