Mais receita, menos produtores? Por quê?

| MILKPOINT


Nos últimos meses, a restrição de oferta do leite no campo tem sido pauta frequente na cadeia láctea brasileira. Os resultados da Pesquisa Trimestral do Leite (IBGE), nos mostraram que em 2021 a captação formal de leite foi 2,2% inferior ao volume observado em 2020. Os resultados preliminares para o primeiro trimestre de 2022 são ainda mais impactantes: o volume captado formalmente nos meses iniciais deste ano foi 10,5% menor do que o praticado no mesmo período de 2021.

Algumas causas podem ser apontadas como responsáveis por esta queda recorde. A principal delas é a redução na rentabilidade do produtor. Considerando dados reais (isto é, desconsiderando o efeito da inflação), a média do indicador Receita Menos Custo de Ração em 2021 foi 7,7% menor do que a média de 2020. Ao considerarmos recortes, como a comparação entre o 2º semestre de 2021 e o 2º semestre de 2020, a disparidade é ainda maior: para o período final do ano, 2020 teve resultado 12,4% superior. Os três primeiros meses de 2022, por sua vez, tiveram rentabilidade 8,1% mais baixa em relação aos meses de janeiro, fevereiro e março de 2021.

O que mais chama a atenção ao adentrarmos o indicador RMCR, entretanto, não é a sua diminuição. O que salta aos olhos é o fato que, entre 2020 e 2021, a receita advinda da produção de leite até cresceu. Sim, os preços do leite em 2021 e também neste início de 2022, são maiores do que os que eram praticados no início de 2020. Como pode, então, a rentabilidade da atividade estar caindo?

A resposta para esta pergunta está nos custos de produção. E se tratando de produção de leite, quando falamos nos custos, o fator mais relevante (a alimentação) nos leva até ao mercado de grãos. Este mercado, nos últimos anos, tem sido desafiado por adversidades climáticas, choques de demanda causados pela pandemia, ajustes na política econômica mundial que vêm afetando as taxas de câmbio — e os incentivos para exportações e importações — e mais recentemente, por uma guerra!

Ciente da importância das movimentações deste mercado para os resultados do setor lácteo, o Fórum MilkPoint Mercado irá trazer um especialista no assunto para nos indicar quais devem ser os próximos passos da conjuntura dos grãos: Fábio Meneghin, da Veeries, apresentará a palestra “Cenários para os mercados de soja e milho – 2º semestre de 2022 e início de 2023”.

No dia 02 de agosto, em Goiânia, temos certeza da presença dos principais nomes do mercado brasileiro de leite. Você não irá ficar de fora, certo? E se não puder ir até Goiânia, te esperamos em nossa plataforma online. Faça já sua inscrição, clique aqui!

Como de costume, nos dias seguintes ao Fórum MilkPoint Mercado, realizaremos o Interleite Brasil 2022, maior simpósio sobre a cadeia do leite nacional, ocorrerá pela primeira vez em Goiânia, nos dias 03 e 04 de agosto. Com a correalização do Sistema Faeg/Senar - GO, do Sebrae-GO e do Governo de Goiás e demais apoiadores, o evento trará 23 palestras ministradas por técnicos, especialistas e produtores, distribuídos em cinco painéis temáticos.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE