A Polícia Civil resolveu o mistério em torno do assassinato da professora e ex-diretora da (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Maria Ildonei Lima Pedra, 70 anos. Segundo investigações, a educadora foi morta por um familiar, de 17 anos, e um amigo dele, outro adolescente também de 17 anos.

Maria Idonei foi encontrada morta na noite do último dia 1° na casa em que morava, no Bairro Jardim Leblon, em Campo Grande. Em depoimento à polícia logo depois de serem apreendidos nesta quinta-feira (13), os menores de idade se intitularam “psicopatas” e disseram que mataram a vítima porque, no dia em que o crime aconteceu, teriam “acordado com vontade de matar”.

“Na manhã do dia em que a professora foi morta o familiar dela chegou na escola e falou para o colega que estava afim de matar alguém e passaram a combinar como fariam isso”, explica o delegado Giuliano Biachio, responsável pelo caso.

Segundo o delegado, os menores de idade chegaram a desenhar o que seria a planta da casa em uma folha de papel e estudaram a maneira como abordaram a vítima para cometer o crime. “Eles chegaram na casa e como se tratava de um parente, ela abriu e ficou cerca de uma hora conversando com eles, até que foi atacada e atingida com uma facada no peito e no pescoço”, revela.

Após o crime, os garotos limparam a casa e posicionaram o crucifixo e duas taças de vinho próximo ao corpo. Nas taças havia dois papéis com os números 31 e 8, dia em que a educadora foi morta. “Eles usaram máscaras e luvas para matar a professora, mas limparam a casa porque queriam dar a falsa pista de que o crime tinha sido latrocínio”, relata Giuliano Biachio.

Também na delegacia o familiar da educadora disse que a idosa havia se desentendido com a mãe dele há algum tempo. O fato será investigado pela Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude) que assume as investigações, no entanto, a polícia acredita que as informações não tenham ligação porque os meninos já haviam demonstrado o interesse de matar.  

Os adolescentes foram apreendidos nesta quinta-feira (13) depois que vizinhos apontaram ter visto os dois saindo da casa de Maria na noite anterior a que o corpo foi encontrado. Com eles foram encontrados quatro facas, inclusive a usada no homicídio, um soco inglês e duas revistas sobre psicopatia. Eles foram levados para a Unei (Unidade Educacional de Internação).

A morte - A professora e ex-diretora da (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Maria Ildonei Lima Pedra, 70, foi encontrada morta em sua casa na noite de sábado (01), no Jardim Leblon em Campo Grande. A casa de Ildonei estava revirada com o portão aberto e, a professora foi encontrada morta na cozinha da residência.

Um filho da professora tentou contato com a mãe no sábado, e como não conseguiu, um irmão da professora então foi até a casa, encontrou o portão aberto e Maria Ildonei já sem vida dentro da residência, que estava toda revirada. Junto ao corpo foi encontrado um crucifixo.

Facas, simulacro e revistas foram apreendidos com os dois adolescentes (Foto: Graziella Almeida)

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9.9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


LEIA MAIS

Mãe e padrasto são presos por espancar, matar e enterrar criança de 3 anos> Violência
Mãe e padrasto são presos por espancar, matar e enterrar criança de 3 anos
Menino João Pedro estava desaparecido desde a madrugada de sábado.

Com depressão pós-parto, mãe que rejeitou bebê teve ajuda da prima para cuidar da filha: 'Me ajudou sem julgar'> Mato Grosso do Sul
Com depressão pós-parto, mãe que rejeitou bebê teve ajuda da prima para cuidar da filha: 'Me ajudou sem julgar'
Aline conta que nos primeiros dias "não conseguia amar a filha", e nessa fase, a prima ia todos os dias até sua casa para cuidar dela e da b

Assaltantes invadiram festa em chácara e agrediram vítimas a coronhadas> Ivinhema
Assaltantes invadiram festa em chácara e agrediram vítimas a coronhadas
Quatro bandidos foram presos e outro morreu após confronto com policiais do DOF e da PM; ele ainda não foi identificado

Empresários se unem para garantir realização de Carnaval em Jardim> Confira
Empresários se unem para garantir realização de Carnaval em Jardim
Grupo fará reunião na noite desta segunda-feira para oficializar proposta para empresariado

Simone confirma que vai entrar na briga para disputar presidência do Senado> Política
Simone confirma que vai entrar na briga para disputar presidência do Senado
Com decisão, parlamentar deve enfrentar, dentro do partido, o colega Renan Calheiros (MDB/AL) para ser escolhida para eleição

Em MS, mensagem no WhatsApp sobre abuso de criança é fake news, garante polícia> Alerta
Em MS, mensagem no WhatsApp sobre abuso de criança é fake news, garante polícia
Delegada alerta para necessidade do usuário saber a origem da mensagem antes de compartilhar informações por grupos

Adolescente suspeito de espancar e esfaquear pintor até a morte é detido em MS> Mato Grosso do Sul
Adolescente suspeito de espancar e esfaquear pintor até a morte é detido em MS
Polícia suspeita que oito adolescentes estão envolvidos em crime

Assaltante morto em confronto com a polícia era paranaense e tinha 34 anos> Roubo em Ivinhema
Assaltante morto em confronto com a polícia era paranaense e tinha 34 anos
Bandidos usaram uma pistola 9 milímetros, um revólver calibre 22 e uma arma de brinquedo em assalto com reféns

Alvo de fiscalização, mercado de MS é flagrado até com moscas em carnes> Mato Grosso do Sul
Alvo de fiscalização, mercado de MS é flagrado até com moscas em carnes
Proprietário foi autuado e tem prazo de 15 a 30 dias para se adequar às normas

Preço médio do botijão de 13 kg sobe e chega aos R$ 72 em MS> MS
Preço médio do botijão de 13 kg sobe e chega aos R$ 72 em MS
Campo Grande, Nova Andradina e Ponta Porã registraram aumento no valor do botijão de 13 kg.

Arsenal seria entregue ao clã de Pavão para vingar morte de Chico Gimenez> Paraguai
Arsenal seria entregue ao clã de Pavão para vingar morte de Chico Gimenez
Polícia paraguaia afirma que fuzis, pistolas e munições seriam usados em outro banho de sangue na fronteira

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE