Petições contra mensalidades: universidades dizem que não reduzirão valores

Universitários criaram um baixo assinado pedindo redução no valor da mensalidade durante a pandemia de coronavírus.

| MIDIAMAX


(Foto: Divulgação)

Alunos criaram uma petição para reduzir o valor da mensalidade nas universidades de Campo Grande, pois estão tento aulas à distancia, por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). As unidades lamentam o atual cenário do país, porém, como se trata de contrato de semestres, não irão reajustar os valores.

Em nota, a Uniderp informou que está acompanhando os casos e assume o compromisso com a segurança dos funcionários e estudantes. As aulas, assim como as atividades administrativas estão suspensas até o dia 18 de maio. Os alunos serão comunicados com antecedência sobre um possível retorno antecipado às aulas, a fim de respeitar o decreto municipal.

“A instituição esclarece que investimentos adicionais precisaram ser direcionados à plataforma interativa como forma de viabilizar a transmissão das aulas online e os demais recursos oferecidos aos alunos. Por fim, o planejamento financeiro das instituições de ensino particulares, que ocorre antes do início das aulas, segue a regra imposta pela lei nº 9.870/1999 e, uma vez que o valor cobrado mensalmente corresponde a uma parcela do custo total do ano ou semestre letivo em curso, entende-se que as mensalidades escolares não devem sofrer qualquer impacto. A Uniderp lamenta o cenário atual, mas reitera que não mede esforços para a adoção das melhores práticas educacionais, assim como a manutenção da qualidade do corpo docente e preservação da saúde e segurança de seus alunos e funcionários. A instituição se mantém à disposição para sanar qualquer dúvida adicional e orienta a todos que sigam os protocolos de prevenção instruídos pelo Ministério da Saúde”, explicou a nota.

Além disso, a durante esse período, todos os professores seguem ministrando as suas aulas online, ao vivo, para manter a rotina acadêmica. Ainda, todo o conteúdo está disponível no AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem), que já faz parte do processo normal de aulas, para que não haja qualquer impacto na continuidade dos estudos. Os docentes seguem utilizando a mesma estrutura das aulas presenciais e trabalhando em jornada integral para que não haja qualquer prejuízo ao currículo e calendário escolar. Não houve, portanto, qualquer redução de custos para a instituição, pois nossos professores continuam atuando intensivamente na preparação e transmissão das aulas, bem como na elaboração de atividades e exercícios, oferecendo também todo o suporte pedagógico aos alunos.

A assessoria de imprensa da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) também informou que está seguindo as normativas do Ministério da Saúde, e entende a dificuldade que muitas famílias estão passando. Apesar do cenário de crise econômica, os salários de administrativos e docentes continuam sendo pagos integralmente, preservando o emprego de cerca de 1200 pessoas entre colaboradores e professores, foram mantidos todas as bolsas e descontos, que contemplam em torno de 60% dos estudantes matriculados.

“Instituição tem buscado formas de auxiliar os estudantes que comprovarem que estão passado por problemas financeiros mas entende que a implementação de uma medida geral para todos os estudantes que estão com dificuldade para manter em dia o pagamento de suas mensalidades em decorrência dos impactos financeiros que a COVID-19 vem causando não atenderá as particularidades de cada um dos que estão com dificuldades mas possuem realidades diferentes”.

A universidade está realizando negociações individuais estudantes que comprovam dificuldades relacionadas ao pagamento de mensalidades durante a pandemia a partir das possibilidades da Universidade pelos telefones 3312-3761 e 3312-3304 ou pelo e-mail [email protected] O atendimento acontece das 8h às 17h.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE