Em menos de 24 horas, cidade de MS confirma mais 2 mortes por coronavírus e chega a 635 casos

Prefeitura de Bataguassu totalizou nesta sexta-feira 635 casos positivos da doença e 4 óbitos; últimas vítimas eram idosos e estavam em UTIs

| MIDIAMAX


Vista aérea de Bataguassu; cidade é a 5ª em volume de casos em MS. (Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Bataguassu –a 313 km de Campo Grande– confirmou na tarde desta sexta-feira (31) a 4ª morte por coronavírus no município, a segunda ocorrida em um intervalo de 24 horas. Trata-se de uma idosa de 83 anos, moradora do distrito de Nova Porto XV, que estava internada em UTI na Santa Casa do município e faleceu pela manhã.

A paciente sofria de hipertensão e diabetes e recebeu acompanhamento médico desde que foi diagnosticada com a Covid-19.

Na noite de quinta-feira (30), o município registrou o terceiro óbito causado pela doença. Tratou-se de um idoso de 96 anos, que também sofria de hipertensão. Ele estava internado desde 18 de julho na Santa Casa e, com complicações, deu entrada em leito de UTI no dia 22.

As duas mortes ainda não constavam no boletim epidemiológico estadual divulgado nesta sexta –que apontava quase 25 mil casos positivos de Covid-19. Com isso, o total de óbitos causados pela doença no Estado é de, pelo menos, 378.

Bataguassu se consolidou como um dos epicentros do coronavírus em Mato Grosso do Sul recentemente, após testagens em série em indústrias como um frigorífico. Com isso, em poucas semanas, foram constatados 635 casos positivos e 153 suspeitos –o quinto maior quantitativo do Estado. A taxa de incidência da doença é de 2.679,8 casos por 100 mil habitantes, o segundo maior de Mato Grosso do Sul.

Tendo em vista o avanço da doença no município, o prefeito Pedro Arlei Caravina (PSDB) baixou o decreto 185/2020, que prorroga até 15 de agosto as medidas emergenciais de controle do coronavírus.

Entre elas, está a proibição de consumo local de bares, restaurantes, lanchonetes e similares (com liberação do delivery), do funcionamento de academias e de entidades religiosas, bem como do atendimento presencial em estabelecimentos de ensino (de escolas a centros de formação de condutores).

Bataguassu também paralisou, aos sábados e domingos, todas as atividades econômicas e sociais. Serviços essenciais, como os de Saúde, farmácias e drogarias, serviços públicos, a feira livre municipal, postos de combustíveis, serviços veterinários, hospedagem, construção civil, supermercados e similares, oficinas e restaurantes em rodovia federal não são alcançados pelo fechamento, mas devem seguir normas de biossegurança.

Quer receber notícias do Site MS NEWS via WhatsApp? Mande uma mensagem com seu nome para (67) 9 9605-4139 e se cadastre gratuitamente!


PUBLICIDADE
PUBLICIDADE